V E S T I B U L A R 2018.1
MENU

Guia de carreiras: enfermagem

Querer cuidar de outras pessoas é principal característica do profissional. Trabalho em hospitais exige dedicação e interesse em se manter atualizado

às 17h05
Compartilhe:

Ter aptidão para cuidar de outras pessoas deve ser a principal característica de quem decide trabalhar na área de enfermagem. Profissional de nível superior, o enfermeiro tem seu foco no cuidado e no paciente. Além disso, deve estar preparado para atuar em grupo, com médicos e fisioterapeutas, a se manter atualizado e a liderar equipes.

“A relação com os pacientes deve ser respeitosa, próxima e de confiança”, explica a gerente de enfermagem do hospital Copa D’Or, Sandra Campos de Oliveira Antunes. Além de trabalhar em hospitais, o enfermeiro pode ainda prestar consultoria, dar aulas e até ser representante de laboratórios.

“O mercado para o enfermeiro é bom. Temos várias oportunidades. Não precisamos hoje ficar apenas praticando a assistência. Existe uma área bastante ampla e com locais onde você pode exercitar sua profissão de maneiras diferentes. Existe bastante oportunidade para o profissional”, disse Sandra.

Há seis anos no Copa D’Or, a enfermeira responsável pela área de educação continuada do hospital, Raquel de Oliveira Gomes, afirma que muitos profissionais em início de carreira têm dificuldade para aplicar o conhecimento teórico à prática. Por isso, sugere que façam cursos e estudem em casa.

“Apesar de o mercado de trabalho ter uma grande gama de vagas, em contrapartida têm muitos enfermeiros querendo esses lugares. A pessoa precisa ser diferente. Hoje em dia não basta ter só a faculdade. Tem que ter outros cursos. Estudar em casa. Tem que se dedicar. Não basta ser enfermeiro. Tem que ser um bom enfermeiro”, disse Raquel.

No Copa D’Or, por exemplo, o enfermeiro só começa a trabalhar com pacientes depois que passa por um treinamento na área de educação continuada, segundo Sandra.

Para quem quer entrar na área, a enfermeira diz que a melhor maneira é começar pela residência. Nessa espécie de estágio, o profissional exercita o que aprendeu na universidade sob a supervisão de um enfermeiro mais experiente.

A escolha da universidade também conta no currículo. “No hospital, no momento da preparação, conseguimos perceber a diferença do nível de preparo de alguns profissionais com relação à formação que têm. As pessoas têm de se informar sobre a universidade”, disse Sandra.

Saiba mais sobre o curso de Enfermagem, da Facipe, aqui

Compartilhe: